Blog

11 Dec 2018

Post extra porque eu tava lendo o Blog da Science e cai nesse artigo. Eu PRECISAVA COMPARTILHAR com você AGORA!

Hoje em dia as pessoas (que têm muito dinheiro) têm acesso a testes genéticos que avaliam a predisposição da pessoa a desenvolver câncer, Alzheimer, obesidade e que avaliam saciedade e até performance esportiva.

Claro, isso pode ser uma informação valiosa MAAASSSS  estudos avaliando efeito placebo sugerem que saber seu risco genético de desenvolver o que quer que seja pode provocar ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS CONSISTENTES COM O PERFIL DE RISCO ESPERADO, independente da variante genética que a pessoa possui.

Eita, te explico. Foram 2 grupos de estudo. O primeiro avaliou performance na corrida e o segundo parâmetros de saciedade. Em cada um dos estudos variantes genéticas foram definidas e essas pessoas foram divididas em 2 grupos aleatoriamente. Prum grupo foi dito:

“Você tem um gene que te faz cansar mais rápido quando você corre”.

Adivinha? Independente de ter a variação genética OU...

24 Sep 2018

Nem só de cuidar dos ossos vive a vitamina D...

Quanta inocência pensar que uma molécula tão complexa só teria uma única função! Ela tem um envolvimento diferente e eu explico a vocêêês, a vocêêês (desculpa colocar um chiclete na sua mente a essa hora da manhã)...

Essa vitamina tem ações mega importantes no nosso cérebro tanto nos nossos neurônios como no tecido de sustentação dessas células dentro da nossa caixola, as células da glia.

A deficiência desta vitamina já foi assocada a diversos problemas neurológicos como demência. Pausa aqui pra explicar que demência não é burrice, tá? É uma condição neurológica associada ao envelhecimento, caracterizada por aumento de amilóide beta (que são como pedrinhas que vão se acumulando no cérebro, dificultando seu funcionamento) e diminuição de processos antiinflamatórios e antioxidantes.

Tem mais! A carência dessa vitamina já foi também associada à depressão, pois ela está envolvida no controle das concentrações de cálcio no cérebro.

Tem mais! A defi...

1 Jun 2018

Que o consumo de frutas e vegetais tem sido associado a uma melhor saúde física deixou de ser novidade desde o mundo se entende por mundo!

Eles são ricos em micronutrientes que são associados também à saúde mental!

Calma que não vou ficar repetindo essa ladainha que c tá cansadi de saber até o fim desse texto!

Nutrientes nos vegetais como vitaminas C, do complexo B, cálcio, magnésio e zinco são importantes pro funcionamento cognitivo e emocional perfeitos. Estão envolvidos na luta contra o stress oxidativo que pode levar a doenças neurodegenerativas, doença inflamatória crônica, aterosclerose, câncer a até depressão.

Pessoas que comem mais vegetais têm menos stress, menos mal humor, são mais satisfeitas com a vida, se sentem mais prósperas. São mais felizes! E essa felicidade parece ser dose dependente! E essa felicidade leva pessoas a fazerem escolhas mais saudáveis! E essa felicidade (tô brincando,rs)...

É o ciclo do amor, hormonia, felicidade purinho!

E esses efeitos são poten...

14 Mar 2018

Já te contei que a prática de mindfulness pode te ajudar a controlar seu peso e compulsão alimentar né? (Viu não? Vai lá ver os posts anteriores 😉) Tem mais!

A atenção plena pode ajudar no tratamento da ansiedade, depressão, stress, oscilações de humor, outras psicopatologias e até da dor crônica através da melhora da regulação emocional. Mas como que é isso lá no seu cérebro?

Vários estudos têm demonstrado através de neuroimagem os processos neurológicos da atenção plena. Vários mecanismos cerebrais interconectados comprovam a efetividade dessa prática. O córtex, especificamente uma região chamada cingulado, associa atenção, motivação e controle dos movimentos. Se durante a meditação, um evento mental como pensamento ou memória interfere é essa parte do córtex que vai falar pras outras partes do cérebro: espera aí um pouco, tô concentrado aqui em outra coisa (meditação)....fica aí tranquilo que eu volto a pensar em vocês mais tarde. E volta pro foco. E essa parte do cérebro, litera...

13 Mar 2018

Sabia que pessoas que que praticam mindfulness têm mais auto-compaixão, auto regulação, auto controle e mais estabilidade emocional?

E que tudo isso melhora seu estado de espírito, se reflete nas suas relações e ainda pode ajudar na sua relação com a comida?

A atenção plena nos leva a mudanças de padrões de comportamentais que nos levam a ser mais saudáveis e manter ou mesmo perder peso quando necessário. Tem vááááários artigos mostrando a eficácia dessa prática no controle do desespero por certos tipos de comida (cravings), tamanho das porções e peso corporal.

O mindful eating que as pessoas têm falado por aí se refere à atitude de manter a consciência NÃO JULGADORA de sensações físicas e emocionais enquanto comemos ou aos ambientes relacionados com a comida. Mindful eating aumenta nossa sensibilidade a sinais físicos de fome e saciedade, velocidade em que comemos, o ambiente, as características da comida...

O que isso quer dizer basicamente? Ao comer pare, coloque seu foco nisso,...

9 Mar 2018

Quem aí já emagreceu e engordou de novo pelo menos 3 vezes na vida? Eu umas 15....

Quando falamos em perder peso já pensamos logo em redução de calorias e aumento da atividade física, tomar remédio, fazer cirurgia bariátrica...

Funciona? Funciona!

É sustentável? Num é né, gente!

Se fosse NINGUÉM passaria pelo efeito sanfona!

Não sei bem das estatísticas mas acho que perto de 100% das pessoas que já emagreceram engordaram de novo (pelo menos uma vez)... minha deusa que missão impossível é essa?

Ilusão, influencia de revistas, televisão. O que a gente vê por aí, nem verdade é. E o pior é que as pessoas querem a todo custo ser que nem a moça da televisão. Vamos pensar melhor nisso?

De cara já te falo que aceitar seu corpo como ele é é o início do caminho que vai te mostrar o que é importante de verdade! O mindfulness, a atenção plena é uma prática que se refere a HABILIDADE DE APRENDIZADO de estar aberto, aceitando e estando presente no momento atual, no agora. É estar presente e C...

9 Mar 2018

Pois é gente, continuando a série de textos que fala sobre atenção plena, mindfulness, mindfulness eating (atenção plena na hora de comer) vou te mostrar que essa prática não faz bem só pro espírito.

Fizeram um estudo lá em Shangai pra provar isso! Tinha gente que tava bem e tinha gente deprimida também.

Mostraram que a meditação melhorou vários aspectos metabólicos (nos 2 grupos) como redução do colesterol ruim, glicemia de jejum, ácido úrico e apo(lipo)proteínas A e B (que são a porção proteica que transporta o coleterol até onde ele deve ir, tipo uber de colesterol).

A ciência cada dia mais nos avisando pra desacelerar, viver no presente, prestar atenção ao nosso redor, no nosso corpo, no nosso comportamento, nas nossas relações...

Fonte: Xue et al. Mindfulness meditation improves metabolic profiles in healthy e depressive participants. Neuroscience and Therapeutics (2018).

9 Mar 2018

Como a atenção plena pode te ajudar a controlar seu peso corporal

A habilidade de modificar padrões comportamentais é essencial pra controlar o peso. Prestar atenção no que a gente tá comendo e no nível de atividade física exigem uma grande capacidade de auto-controle. Com o aumento da atenção plena a pessoa tem muito mais consciencia dos atos que pratica e a probabilidade de observar maus hábitos é maior. Quando temos consciencia desses hábitos que não nos fazem bem a probabilidade de mudar isso aumenta em um milhão porcento. O negócio é estar presente sabe... na hora de comer, comer... olhar seu prato, levar a comida à boca, sentir o gosto, sentir a mistura de gostos na boca. Pensar nisso ao invés de pensar na morte da bezerra, sabe? É estar presente de verdade!

A ciência mostra que quem faz isso reconhece mais facilmente os sinais de saciedade e evita comer em excesso pra não ter que (de novo) sentir as emoções negativas que vêem com esse ato (culpa, raiva, nojo de si). Perceber (...

18 Jul 2016

Em pacientes portadores de Alzheimer a qualidade do sono está diretamente associada à qualidade de vida. E isso é um fardo pesado pros pacientes e cuidadores. Esses problemas do sono são multifatoriais como ambiente, comportamento, tratamentos, comorbidades etc. Uma avaliação do sono é essencial pra definir o tratamento que pode ser ou não ser farmacológico.

O fato de dormir bem ou não influencia diretamente a evolução da doença. Distúrbios do sono estão associados a prejuízo cognitivos e de memória.

A melatonina regula os ritmos do corpo, elimina radicais livres, melhora a imunidade. No caso específico do Alzheimer ela tem ação antiamiloidogênica. Pera, assusta não! No Alzheimer os neurônios começam a tem depósito de uma proteína que se chama amiloide beta. É como se o neurônio fosse invadido por micro pedrinhas e acaba morrendo. A melatonina reduz a quantidade de amiloide beta e evita sua agregação nos neurônios.

Além disso, sabe-se que os níveis de melatonina caem já no estágio pré-clí...

5 Jul 2016

Pois é... as plantas também produzem melatonina! Já dosaram melatonina em muitas plantas e viram que raízes, sementes, folhas, bulbos e flores são ricas em melatonina.

Alguns vegetais ricos em melatonina: cardamomo, linhaça, alfafa, girassol, mostarda, frutas vermelhas, amêndoas, arroz, aveia, milho...

A produção de melatonina nas plantas é induzida quando a planta sofre algum tipo de stress como temperaturas extremas, toxinas, seca e infecções por fungos, ou seja, ela é produzida pra combater radicais livres nas plantas (o que acontece na gente também).

Mas se a gente consome vegetais ricos em melatonina, ela tem algum efeito na nossa fisiologia?

Supõe-se que a melatonina aumente a capacidade fitoterápica dos vegetais... porém até 2015 essa capacidade ainda não tinha sido explorada... aguardemos cenas dos próximos capítulo...

Mas todo mundo tá careca de saber que o consumo de vegetais é importante pra manutenção da saúde...

Em animais como em plantas, a melatonina é uma molécula extremament...

Please reload

Por interesse
Por data
Please reload

Me segue ;)
  • YouTube Social  Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon