Blog

16 Feb 2019

In English below

Oieee! E essa informação não tem nada de fake news!

Só que deram a pílula pro Aedes Aegypti, o mosquito que transmite o vírus da dengue, zika, febre amarela e chicungunya. O povo vem procurando um jeito de diminuir a transmissão dessas doenças e o passo determinante da transmissão é a picada, né? Foram ver, o mecanismo que controla o comportamento alimentar do mosquito era quase que nem o da gente. Deram remédio pra emagrecer pra ele pq ele pica pra sugar seu sangue. Seu sangue é a comida dele. Com o remédio vc deixa de ser apetitosi pro mosquito e ele nem quer mais seu sangue e aí tem menos transmissão de doenças. FIM. Esse artigo foi publicado só na Cell! Estudo maravilhoso, coisa linda de se ver. DOI embaixo pra quem se interessar em saber mais!

Obrigada ciência por mais essa graça alcançada!

Bom fim de semana e beijo procê!

https://doi.org/10.1016/j.cell.2018.12.004

And this is not  fake news!

The thing is that they gave diet pills to the mosquitoes that transmit the deng...

18 Jan 2019

Pois é...não só receptores, mas um sistema endocanabinóide bem complexo que regula várias funções no seu corpo, inclusive seu comportamento alimentar! Inclusive esse sistema é um dos atores principais no controle do complexo circuito neural que regula seu balanço energético. Esses canabinóides são produzidos dentro do nosso corpo e tem ações na formação de novas células de gordura, na liberação de insulina. Tem um endocanabinóide que tem níveis aumentados agudamente em ocasiões de privação alimentar. Tipo, eles tentam te salvar a vida, porque ficar sem comer é MUITO CRÍTICO PRO SEU CORPO! E tem mais! Esses canabinóides estão também envolvidos em processos de reforço alimentar, recompensa e TAMBÉM influenciam preferências alimentares!

Quer saber mais sobre esses canabinóides endógenos? Deixa aí nos comentários que continuo a te contar mais sobre eles nos próximos posts!

Um fim de semana bem lindo e beijo procê!

Yes, ma’am... there are cannabinoids receptors AND a complex endocannabinoid sy...

14 Jan 2019

In English below

Seu cérebro controla o que e quando você come. E você aí pensando que era o ronco do seu estômago que decidia isso...

O cérebro tem um papel essencial na regulação da sua homeostase energética que mantém tudo estável e permite seu corpo trabalhar como se deve o tempo todo. E lá tem uma regiãozinha pequenininha especial que se chama hipotálamo. Lá as três camadas que protegem seu cérebro tem uma barreira menos seletiva, digamos assim. Nesse lugar em específico, a barreira do seu cérebro deixa passar informações sobre seus estoques energéticos da periferia. Assim seu cérebro vai saber se tem glicose (que é o combustível preferido de todas as células) suficiente. Vai perceber a concentração de hormônios como insulina (que coloca a glicose pra dentro das células) e de leptina (liberada pelo tecido adiposo). Baixou as doses de insulina e leptina, seu cérebro vai entrar numa cascada metabólica mega complexa que vai culminar com você abrindo a geladeira pra ver o que te pra com...

14 Jun 2018

Ontem te contei um pouco sobre como a microbiota age sobre o comportamento alimentar. Hoje te conto como tudo começou... então, senta que lá vem história...

Mentira, é rapidinho 😁

Tudo começou com a observação de que o uso de carboidratos complexos como prebióticos aumentavam a produção endógena do hormônio GLP1 no intestino. E GLP1 age no sistema nervoso central que vai dizer pra você “Tá bom, pode parar de comer”, ou seja, é um hormônio da saciedade. GLP1 além desse efeito no apetite, melhora a tolerância à glicose e diminui a resistência à insulina. E tem mais!

Fibra aumentou a liberação de GLP1 de PYY e tb de GLP2 pelas mesmas células do intestino. GLP2 reforça a barreira intestinal e promove renovação do epitélio e dá uma força pras proteínas tight junctions que mantém as células do intestino coladinhas (evitando a passagem de coisas ruins e leaking gut – síndrome absortiva intestinal ou síndrome do intestino permeável).

Resumindo: fibras podem controlar o comportamento alime...

7 Dec 2017

Fechando a série #aiquefomecientifica bora fazer um resumão?

Os mecanismos neurais e moleculares que controlam o comportamento alimentar integram pistas sensoriais (ver, degustar, saborear), pistas humorais (nutrientes, metabólitos, hormônios) e isso tudo é modulado por mecanismos homeostáticos e vias de prazer e recompensa.

É um sistema que envolve muitas variáveis e que está bem longe de ser totalmente elucidado! A única certeza que temos em ciência é de que quanto mais descobrimos mecanismos, mais temos que investigá-los. Pode ver, tudo que é artigo científico (sério) é finalizado com um “mais estudos são necessários para investigar blablablabla”. TODOS!!!!!! O famoso só sei que nada sei. Desconfie de “verdades absolutas”… Meu objetivo com essa série foi ampliar pra você a visão do comer (espero ter conseguido). O ato de comer não é simplesmente um entrar/sair de calorias. Isso vai muito além! É muito mais rico! Comer é um ato social que deve estar associado a prazer, felicid...

24 Nov 2017

Comer é um assunto complicado... Mentira, nem é...

Ontem te contei um pouco sobre os hormônios da fome e sobre porque a gente fica meio emputecidx quando a gente tá com fome.

Depois que a gente comeu e “des-irritou” o que acontece é o seguinte. Nutrientes começam a circular no seu sangue (eba) e seu cérebro é informado disso. Ele manda o tecido adiposo liberar a leptina e o pâncreas liberar a insulina.

E todo mundo (glicose, aminoácidos, ácidos graxos, insulina, leptina) vem prestar conta no cérebro porque eles são submissos e tem que ir lá bater ponto. O hipotálamo lá no cérebro é tipo gerente. Libera POMC e AgRP (pro-ópiomelanocortina e proteína relacionada ao agouti, PQP esses nomes). Esses hormônios são os sinais de saciedade que vão ser espalhados no seu cérebro pra fazer você para de comer.

Nos próximos posts vou te contar que o buraco é mais embaixo. Essa é a estória resumidamente resumida, uma agulha no palheiro do que tá acontecendo de verdade. Nesse mesmo tempo que essas coisas t...

23 Nov 2017

Já te expliquei em posts anteriores vários fatores que interferem no nosso comportamento alimentar. Agora vou te explicar como essa informação chega no seu cérebro.

Lembra que eu falei essas informações podem chegar no cérebro por meio de neurônios (neural) ou por meio de nutrientes e hormônios (humoral)? A via neural que regula o que/quando/quanto você come é mediada pelo nervo vago. Nervo nada mais é que um monte de neurônios juntos. Esse nervo é estimulado por nutrientes, hormônios e estiramento dos intestinos enquanto o bolo alimentar passa. O nervo vago, por sua vez, vai estimular um núcleo no tronco cerebral. E esse núcleo é importantíssimo pra saciedade. Ele se chama Núcleo no Trato Solitário – NTS (engraçado esse nome, né?). A informação transmitida ao NTS é retransmitida para outros núcleos numa região específica (e minha preferida) do cérebro – o hipotálamo. Lá dentro do hipotálamo tem vários outros núcleos importantes pra regulação da alimentação. E são esses núcleos q...

14 Nov 2017

Dieta restritiva demais vai te engordar, não adianta chorar, espernear… é muita audácia pensar que podemos controlar nosso cerebro desse jeito… ele não é bobo não!
Não acredita em mim?
Acredita no que fala esse artigo que foi publicado só na Nature, tá?

Continuando com o textos da série #aiquefomecientifica, te conto sobre os 2 protagonistas no controle neural do comportamento alimetar: a lepti...na e a insulina.

A leptina e a insulina circulam no nosso sangue durante/após uma refeição e elas agem em vias no nosso cérebro que REPRIMEM os circuitos anabólicos, ou seja, aqueles que estimulam o consumo alimentar e inibem o gasto energético e ao mesmo tempo ESTIMULAM circuitos catabólicos que inibem o consumo alimentar e aumentam o gasto energético.

Pois bem.

Em dietas restritivas come-se menos, a concetração de leptina e insulina são menores. Isso vai ser visto como uma agressão pelo seu cérebro que é acostumado às suas concentracoes de insulin/leptina. Ele (que manda em você) vai est...

3 Nov 2017

Existem 3 aspectos da alimentação: O que, quando e quanto. Esses aspectos representam a quantidade e qualidade do que comemos. O aspecto quantitativo tem sido estudado extensivamente, porque o peso corporal é determinado pelo balanço entre as calorias consumidas e o gasto calórico. Nos próximos posts falaremos sobre essa balança que nunca pára e que é controlada finamente pelo nosso cerebrinho. Vamos falar também de como outros aspectos (resistência celular, inflamação, composição corporal, etc.) podem modular esse controle.

Por outro lado, se sabe muito pouco sobre os mecanismos que regulam a qualidade do que comemos, mesmo isso impactando significativamente o controle do peso e da saúde. Vamos falar também desse aspecto. Como nosso cérebro seleciona os macronutrientes? Como áreas cerebrais relacionadas à recompensa e prazer podem modular a escolha do que comemos. Já parou pra pensar nisso?

Nos próximos posts vamos entender melhor como acontece o controle do peso e que mecanismos contro...

Please reload

Por interesse
Por data
Please reload

Me segue ;)
  • YouTube Social  Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Estrasburgo - França

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2023 by Alison Knight. Proudly created with Wix.com