Blog

Diabetes – Tratamento

June 12, 2016

 

O principal objetivo do tratamento do diabetes é melhorar o controle glicêmico:

  1. Através de redução do consumo de carboidratos simples (açúcar, arroz e pão brancos – que viram a mesma coisa no fim: glicose no sangue e não tem nutriente nenhum);

  2. Incentivo da prática de atividade física: tá comprovado faz tempo que exercício aumenta a quantidade do canal transportador de glicose nas células. Assim a glicose entra na célula e não fica no sangue aumentando a glicemia;

  3. Perda de peso: gordura abdominal aumenta a resistência à insulina;

Se essas medidas não forem suficientes pra controlar a glicemia, deve-se tratar com medicamentos. O que são e pra que servem?

  1. Insulina: é ela que liga na célula e faz abrir o canal por onde a glicose vai entrar na célula;

  2. Incretinas: são peptídeos produzidos normalmente nos intestinos que estimulam a produção de insulina pelo pâncreas, diminuem a secreção de glucagon (que é o hormônio que, no jejum, libera glicose no sangue), diminui o esvaziamento gástrico (assim a glicose vai sendo absorvida mais lentamente sem ter picos no sangue) e diminuem o apetite;

  3. Inibidores da DPP4: a DPP4 é a enzima que degrada as incretinas. Se elas não são degradadas fazem seu efeito por mais tempo!

  4. Tiazolidinedionas: assunta com o nome não... essa é a famosa metformina. Age principalmente nos músculos e células do fígado (hepatócitos). Esse medicamento aumenta a sensibilidade à insulina, ou seja, aumentam a eficiência do transportador de glicose (o canal por onde a glicose entra na célula) levando a uma diminuição da glicose no sangue.

Um controle glicêmico bem feito retarda o desenvolvimento das complicações microvasculares:

  1. nefropatia (problemas nos rins): pode ser tão grave que leva paralisia nos rins e o paciente é obrigado a fazer diálise pro resto da vida;

  2. retinopatia: começa com catarata e pode levar à cegueira;

  3. neuropatia: a pessoa perde a sensibilidade principalmente nas mãos, braços, pernas e pés – conhecida como pé diabético. Perdendo a sensibilidade a pessoa pode sofrer ferimentos e não sentir, esse ferimento pode inflamar levando, por fim, à morte dos tecidos. Nos pacientes diabéticos a cicatrização é mais lenta. Isso pode levar a amputações.

 

Dica? Post sério hoje, né? Mas tem que ser mesmo!

Tá pré-diabético ou já tem diabetes instalada? O controle glicêmico feito com cuidado vai adiar (e em alguns casos até impedir) que essas complicações vasculares aconteçam! Acompanhamento com médico e nutricionista sempre!

 

Fontes: Nicholson & Hall. Diabetes mellitus: new drugs for a new epidemic. British Journal of Anaesthesia (2011).

Please reload

Me segue ;)
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
Por interesse
Please reload

Por data

Estrasburgo - França

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2023 by Alison Knight. Proudly created with Wix.com